A compostagem orgânica não é uma novidade dos dias atuais, apenas está ganhando popularidade na medida em que as preocupações com as condições ambientais e com a sustentabilidade do planeta vem tomando espaço consideravelmente no cotidiano das pessoas.

A compostagem é considerada uma técnica milenar, na medida em que o homem aprendeu a amontoar os restos de animais e vegetais para fermentar e depois utilizar como adubo.

Na China, por exemplo, a compostagem vem sendo aplicada há séculos. As técnica eram artesanais e fundamentavam-se na formação de leiras ou montes de resíduos que ocasionalmente eram revolvidos. Após o processo de fermentação, o composto era incorporado ao solo favorecendo o crescimento dos vegetais.

Na Europa, a técnica era utilizada durante os séculos XVIII e XIX pelos agricultores que transportavam seus produtos para as cidades e em troca, voltavam às suas terras com os resíduos urbanos das cidades para utilizarem como corretivos orgânicos no solo.

Na década de 70, o aumento da preocupação com a proteção ambiental ocasionou o ressurgimento dos sistemas de compostagem, como um processo de tratamento para o lodo de esgoto.

Nos dias de hoje, através da necessidade de preservação do meio ambiente, a utilização de novos métodos de reciclagem do lixo, surge a compostagem dos resíduos orgânicos como uma solução para a redução do volume de lixo que é encaminhado para os aterros nas grandes cidades. Utilizando a compostagem de resíduos, obtém-se como benefício o adubo orgânico para a utilização em plantas e hortas.  


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *